PRÊMIO CURTA RIO LANÇA 10 FILMES NO CINE ODEON

PRÊMIO CURTA RIO LANÇA 10 FILMES NO CINE ODEON

O Prêmio Curta Rio, uma iniciativa do IBEFEST-Instituto Brasileiro de Estudos de Festivais Audiovisuais, com patrocínio da TV Globo, promove o lançamento dos dez curtas-metragens vencedores do concurso, no dia 6/11, às 21h, no Cinema Odeon, na Cinelândia, em parceria com o Curta Cinema 2015.

Será a estreia no cinema dos filmes contemplados na primeira edição do Prêmio Curta Rio, que recebeu quase 400 inscrições de roteiros sobre os 450 anos do Rio de Janeiro.

Os filmes revelam diversos ângulos do Rio apresentando olhares peculiares da Zona Norte à Zona Sul, passando pela Zona Oeste da cidade e até mesmo Paquetá.

A sessão de lançamento dos filmes do Prêmio Curta Rio no Cine Odeon será com entrada franca, mas é recomendável chegar com antecedência para garantir o ingresso.

Confira a programação no site do Curta Cinema 2015

Filmes em exibição:

HELGA E PAULO, de Pedro Asbeg

Muitas vidas resumidas em apenas uma história de amor.

A ILHA É DAS CRIANÇAS!, de Zeca Ferreira

É dia de Cosme e Damião na ilha de Paquetá.

SEBASTIÃO, de Evandro Manchini e Felipe O’Neill

Durante a madrugada, dois homens atravessam a cidade do Rio de Janeiro dentro de uma Kombi velha. Uma terceira pessoa está desacordada no banco traseiro provocando assim um clima de mistério e tensão durante o percurso. Quando o dia amanhece eles chegam até o seu destino final e revela que as coisas nem sempre são o que parecem ser.

BOLA PARA SEU DANAU, de José Eduardo de Souza Lima

Cinco meses antes de Charles Miller, o técnico tecelão escocês Thomas Donohoe escalou uns colegas de trabalho da Fábrica de Tecidos Bangu para uma pelada, e deu o pontapé inicial do futebol brasileiro.

UM RIO QUE VEM DE LONGE, de Anna Azevedo

Uns nasceram no Rio, como os artistas Elza Soares, Bibi Ferreira e Djalma Sabiá. Outros, escolheram a cidade para viver, como o caricaturista italiano Lan e a dona de casa portuguesa Céu dos Reis. Personagens que nos revelam aspectos do Rio que os enchem de saudade.

CANTO DO RIO EM SOL    , de Maria de Andrade e Laís Rodrigues

Ao som da voz de Carlos Drummond de Andrade recitando seu poema homônimo, o documentário Canto do Rio em Sol mostra a desconstrução da paisagem urbana do Rio de Janeiro a partir de imagens de arquivo históricas raras.

LÁ DO ALTO, de Luciano Vidigal

Como cessar a dor silenciosa de uma criança que sente saudades de uma avó que morreu? Através do mundo lúdico infantil, imagens privilegiadas e singulares da cidade do Rio de Janeiro, vista do alto da favela do Vidigal, o filme vai mostrar a história de um menino sonhador que tenta convencer seu pai a se aventurar em conhecer o alto de uma pedra, que ele acredita ficar perto do céu, para poder se comunicar com sua avó, de quem sente saudades.

O MIRANTE DO AZUL, de Isabella Raposo e Thiago Brito

No aniversário da cidade do Rio de Janeiro, dois funcionários do Centro de Operações do Rio de Janeiro farão de tudo para resgatar a imagem de Copacabana.

CINE VAZ LOBO, de Luiz Claudio Motta Lima

O movimento em defesa do Cine Vaz Lobo envolve preservação, cultura e memória.  Idealizado pelos moradores e amigos da baixada de Irajá, busca a transformação do Cine Vaz Lobo em Centro Cultural. A primeira vitória do grupo foi modificação do trajeto da transcarioca, a não demolição do prédio, e o tombamento do Cine Vaz Lobo, inaugurado em 1941.

RUGAS, de Ludmila Curi Kestenberg

Neto e avô debatem sobre a idade do Rio de Janeiro: 450 anos é muito pouco?