Ficção expõe a relação angustiante entre pai e filho

Ficção expõe a relação angustiante entre pai e filho

Neste curta de 15 minutos, o diretor paraibano Ismael Moura discorre sobre o relacionamento conturbado de duas vidas presas em suas próprias histórias e que fazem do seu mundo uma ilha interior.

“Ilha” expõe a angustiante e comovente relação entre um pai idoso e seu filho autista, ambos perdidos na imensidão desoladora do sertão.

O roteiro de a “Ilha” foi desenvolvido durante o II Jabre – Laboratório de Roteiro para Jovens do Interior da Paraíba, e realizado em setembro de 2013 na cidade de Cuité – PB.

O filme traz algumas músicas do CD “No Bagaço da Cana” da grande artista paraibana Cátia de França.

Suspense e terror em roteiro que aborda a ditadura

Suspense e terror em roteiro que aborda a ditadura

Geórgia, uma menina de oito anos, é proibida de entrar no porão de sua casa, onde costumava brincar. Longe dos olhos dos pais e da velha babá, Geórgia encontra a porta destrancada: há alguém lá dentro.

Essa história, com suspense e terror, embala o curta de 20 minutos “O Segredo da Família Urso”, dirigido por Cíntia Domit Bittar. O filme foi contemplado com o Prêmio Catarinense de Cinema.

O enredo envolve o contato de uma criança (Geórgia) com a ditadura militar brasileira, narrado com elementos de suspense e terror.

As gravações ocorreram em junho de 2013, na cidade de Lages, Serra Catarinense.

Curta denuncia o impacto ambiental provocado pela indústria papeleira

Curta denuncia o impacto ambiental provocado pela indústria papeleira

O curta-metragem catarinense “Deserto Verde” venceu o Prêmio Canal Brasil de Curtas e levou R$ 15 mil no 20º Fórum Audiovisual do Mercosul – FAM, realizado em junho de 2016 em Florianópolis/SC.

Com direção de Juliana Kroeger, “Deserto Verde” é um documentário sobre o impacto ambiental provocado pela indústria do papel, a partir das fábricas instaladas na Serra Catarinense, às margens do Rio Canoas.

O Brasil é um dos maiores produtores de papel e celulose do mundo. Embora gere emprego e renda, a atividade agride a natureza, segundo informa o filme.

Breno Mello, o “Orfeu Negro”, ganha cinebiografia

Breno Mello, o “Orfeu Negro”, ganha cinebiografia

Produção francesa rodada no Brasil em 1959, “Orfeu Negro” recebeu vários louros na época, como a Palma de Ouro em Cannes, Globo de Ouro e Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Até Barack Obama elogiou o filme.

Dirigido por Alexandre Derlam e Rene Goya Filho, o curta é uma cinebiografia de Breno Mello, 76 anos (ele faleceu em 2008), ex-operário, jogador de futebol e célebre protagonista do filme dirigido por Marcel Camus.

A identidade de Breno se confunde com a do mito e a do personagem Orfeu da Conceição. Este documentário apresenta depoimentos, trechos de filmes e lembranças de um brasileiro que conjugou futebol, cinema e bossa nova.

Breno foi reverenciado no exterior mas esquecido no Brasil.

“Gildíssima” retrata uma das mais emblemáticas mulheres gaúchas

“Gildíssima” retrata uma das mais emblemáticas mulheres gaúchas

O curta “Gildíssima” recria a trajetória de Gilda Marinho, jornalista e editora, amada e respeitada por políticos e poetas.

Independente e bem humorada, Gilda falava vários idiomas e circulava pelos salões da elite gaúcha.

Fascinante em cada detalhe, o curta explora a personalidade encantadora de Gilda. Com figurino de época, apresenta depoimentos de personalidades que conviveram com esta personalidade.

Produzido pela Estação Filmes e dirigido por Alexandre Derlam, o filme participou da 42ª Mostra de Curtas de Gramado.

Produção critica as patifarias da política nacional

Produção critica as patifarias da política nacional

O premiado curta “Quando Parei de Me Preocupar com Canalhas”, do diretor Tiago Vieira, conta a história de um cidadão comum que desistiu de acompanhar as patifarias da política nacional.

O filme foi feito a partir da tirinha homônima de Caco Galhardo publicada na Revista Piauí em abril de 2008.

Pelo curta, Matheus Nachtergaele levou o 1º Kikito da carreira como melhor ator, no 43º Festival de Gramado. O filme também traz no elenco os cantores Otto e Paulo Miklos.

A lista de prêmios, menções honrosas e seleções passa de 20 festivais.

Filme retrata Síndrome de Down de forma delicada

Filme retrata Síndrome de Down de forma delicada

“Um a Mais, Um a Menos” é um documentário espanhol de Alvaro Pastor e Antonio Naharro, lançado em 2002.

Uma jornalista planeja um documentário e, inesperadamente, ela entra em um universo desconhecido, o de Lourdes, a adolescente com Síndrome de Down que pretende retratar.

Lourdes surpreende a jornalista quando inverte a situação e delicadamente toca em seu ponto fraco. Aos poucos, o relacionamento das duas mulheres evolui para um interesse sincero e uma amizade verdadeira.

Sérgio Bernardes: arquiteto aponta soluções para os problemas do RJ

Sérgio Bernardes: arquiteto aponta soluções para os problemas do RJ

Documentário assinado por Xavier de Oliveira explora a visão de futuro do arquiteto Sérgio Bernardes para o Rio de Janeiro. A produção de “Rio – Uma Visão de Futuro” é do INCE – Instituto Nacional de Cinema Educativo, de 1966.

Maquetes e desenhos de aeroportos, portos, e bairros remodelados propõem a criação de uma cidade vertical para o problema urbanístico e a sua transformação num centro internacional de atividades comerciais e culturais.

Bernardes aponta soluções para a maioria dos problemas enfrentados pelos cariocas, muitos vivendo em favelas na década de 60. Seu plano inclui a recuperação da natureza e a transformação da cidade numa mais habitável do ponto de vista humano.

“Quem Matou Eloá?” analisa o papel da TV como formadora de opinião

“Quem Matou Eloá?” analisa o papel da TV como formadora de opinião

Em 2009, Lindemberg Alves de 22 anos invadiu o apartamento da ex-namorada Eloá Pimentel de 15 anos, armado, mantendo-a refém por cinco dias.

O crime foi amplamente difundido pelos canais de TV. “Quem matou Eloá?” traz uma análise crítica sobre a espetacularização da violência e a abordagem da TV nos casos de violência contra a mulher.

O curta de 24 minutos, dirigido por Lívia Perez, é uma forma de denunciar que essa exposição é um dos motivos pelo qual o Brasil é o quinto num ranking de países que mais matam mulheres.

Músico mineiro, Johnny Black ganha registro em documentário

Músico mineiro, Johnny Black ganha registro em documentário

“De Quando em Vez” é um curta sobre música que constrói, de maneira poética, vários dias dentro de um dia na vida do músico mineiro Johnny Black.

Dirigido por Jáder Barreto e Rafaella Lima, o filme foi produzido parcialmente com verba da Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais.

O curta está na seleção de cinema do MIMO 2016, festival dedicado exclusivamente à música que está sendo realizado nos dias 11, 12 e 13 de novembro, no Rio de Janeiro.

Consagrado como um dos maiores festivais do Brasil, o MIMO é patrocinado pelo Bradesco, Cielo e BNDES.